EVO MORALES É PRESO E AFIRMA QUE O ATO FOI ILEGAL

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, que esteve à frente do governo durante 14 anos afirmou que é vítima de um golpe feito pelo Estado, e falou sobre os ataques que vem sofrendo.

RENÚNCIA DO EX-PRESIDENTE DA BOLÍVIA

O ex-presidente da Bolívia ficou detido neste domingo em um local conhecido como zona cocalera de Chapare, para fazer o comunicado de sua renuncia a presidência, após perder a assistência da polícia e dos militares.

O avião presidência deslocou ex-presidente Evo Morales, que chegou acompanhado do seu vice-presidente, o Álvaro García Linera, na parte da tarde até o aeroporto de Chimoré, que serve ao Chapare, onde ambos fariam a renúncia ao cargo da presidência.

No dia 10 de outubro de 2019, Evo Morales, renunciou ao seu cargo de presidente, durante a sua fala, ele afirmou ter sofrido uma grande pressão por parte dos policiais e militares, e que o ato direcionado contra ele foi ilegal.

Em seu comunicado ele disse que denunciava aos cidadãos bolivianos e ao mundo todo que certo oficial da área policial, teria informado que recebeu a instrução de efetuar uma ordem de prisão ilegal contra ele.

O ex-presidente também comunicou que “grupos violentos” invadiram a sua Residência, e finalizou dizendo que os golpistas dilapidam o Estado de Direito.

POLÍCIA NEGA A EXISTÊNCIA DE PRISÃO ILEGAL

A polícia da Bolívia, ao ser confrontada sobre a fala do ex presidente, negou a existência de  algum  tipo de mandato ilegal direcionado a Evo Morales.

O comandante da Polícia Nacional Yuri Calderón, disse a emissora de TV boliviana Unitel, que não existem mandados de prisão ilegais direcionados a nenhum dos  oficiais de estado, e muito menos aos seus ministros. Finalizou dizendo que o responsável pela emissão de mandados de prisão é o Ministério Público e não a polícia. Ainda esclareceu dizendo que a ordem de prisão do ex-presidente da Bolívia, Evo Morales foi emitida para os presidentes dos tribunais departamentais, eleitorais.

MOVIMENTO A FAVOR DA RENÚNCIA DE EVO MORALES

Antes de a polícia efetuar um posicionamento sobre o ocorrido, membros que faziam parte da oposição chegaram a efetuar uma declaração sobre a existência de requerimento de prisão contra o oficial de estado Evo Morales.  Um dos líderes cívicos diretistas a favor da renúncia, Luis Fernando Camacho, foi um dos que efetuaram o comunicado da detenção através de uma publicação que declarava que estava comprovada, a ordem de prisão de Evo Morales, e que os policiais militares já estavam em busca do mesmo.

Uma província localizada no cêntrico departamento de Cochabamba, também efetuou a divulgação dizendo que os militares haviam retirado o ex-presidente do avião presidencial, e que ele estaria escondido no Chapare, Comemoram ainda dizendo que ele foi pego, e que finalmente a justiça foi feita.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.